Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
2/05/18 às 16h32 - Atualizado em 17/05/18 às 17h23

Operação Bota Fora Entulho fica na Candangolândia até sexta-feira (4)

COMPARTILHAR

Coordenada pela Secretaria das Cidades, iniciativa vai recolher materiais inservíveis e limpar a região, bem como erradicar possíveis criadouros do mosquito Aedes aegypti

 

DA AGÊNCIA BRASÍLIA, COM INFORMAÇÕES DA SECRETARIA DAS CIDADES

 

Até sexta-feira (4), a Candangolândia recebe ações de retirada de materiais inservíveis, de limpeza e de erradicação de possíveis criadouros do mosquito Aedes aegypti, vetor de doenças como dengue, zika e febre chikungunya.

 

Trata-se da operação Bota Fora Entulho, com equipes da Companhia Urbanizadora da Nova Capital do Brasil (Novacap) e do Serviço de Limpeza Urbana (SLU) reunidas para recolher objetos descartados pela população.

 

Na última semana de abril, a Diretoria de Vigilância Ambiental, ligada à Secretaria de Saúde, com apoio da Administração Regional da Candangolândia, solicitou aos moradores da cidade que colocassem materiais inservíveis do lado de fora de suas residências para que essa coleta fosse feita pelas equipes da Novacap e SLU.

 

Com o manejo, o foco é reduzir os números de prováveis casos de dengue. Até abril, foram seis registros, mesmo número do ano passado, mas bem menos se comparado a 2016, quando foram diagnosticados 139 casos no mesmo período.

 

Serão destacados 20 servidores, com o apoio de cinco caminhões e uma pá carregadeira. Nesta quarta-feira (2), os trabalhos começaram na Praça da Bíblia e passam pelas QRs 2, 4 e 7, além do Setor de Chácaras.

 

Na quinta-feira (3), a interveção será nas QRs 1, 3 e 5. Na sexta-feira (4), na QR 1A, na QRO A, na QRO e na QOF. Participa ainda da operação a Administração Regional da Candangolândia.

 

Essa é a 6ª edição da força-tarefa, que já passou por Sobradinho II, Fercal, Planaltina, Vila Planalto e Varjão. Até o momento, já foram retiradas mais de 400 toneladas de entulhos das ruas.

 

Foto: Tony Winston/Agência Brasília.

EDIÇÃO: PAULA OLIVEIRA