Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
6/06/19 às 16h05 - Atualizado em 7/06/19 às 14h03

Projeto leva ao DF cursos para comunidades carentes

COMPARTILHAR

Objetivo é oferecer capacitação para pessoas ingressarem no mercado de trabalho

 

Observando a realidade econômica do Distrito Federal e as demandas do mercado de trabalho em ter pessoas mais qualificadas, Dargeon de Assis, não pensou duas vezes e idealizou o projeto “Superando Obstáculos, Formando Vencedores”. Com o objetivo de levar cursos profissionalizantes a pessoas de baixa renda, ele tem rodado pelas cidades do DF, se instalando de forma temporária em algumas regiões, para que os interessados ingressem no mercado de trabalho.

 

O projeto iniciou em fevereiro deste ano, mas já contou com mais de 100 alunos. Dargeon fala que já havia planejado a capacitação há dois anos atrás, mas que recebeu o incentivo somente da atual gestão do GDF. “O administrador da Estrutural, Germano Guedes, viu o projeto e ofereceu a oportunidade de começarmos”, disse o idealizador do Superando.

 

Outro parceiro que abraçou o “Superando Obstáculos”, foi o secretário das Cidades, Gustavo Aires. No dia 15 de maio, ele entregou certificados em um projeto social realizado em Ceilândia, local onde ocorreu o curso para Agentes de Portaria. Dargeon conta que esse diálogo com o secretário veio para somar com a causa e que permanecem em contato para as capacitações chegarem a todas as regiões do DF.

 

Assim, sabendo das dificuldades de algumas famílias que não possuem salário para estar deslocando de suas cidades, o idealizador realiza parcerias com igrejas, creches, instituições sociais, em que os alunos pagam uma quantia simbólica de R$20 para custear com o valor da apostila e do espaço alugado.

 

Atualmente são oferecidos cerca de oito cursos, entre eles, de merendeiro, agente de portaria, recepcionista, operador de caixa, copeira, barman, camareira e jovem aprendiz. Durante a formação, que são de 40 a 80h/aula, aproximadamente de 15 a 20 dias, os alunos não podem faltar mais de duas aulas e precisam realizar as atividades e prova propostas.

 

“Para fazer o curso, não necessita ter um pré-requisito, mas é importante ser alfabetizado. Ter pelo menos o ensino fundamental completo e incentivamos finalizar o ensino médio, para aqueles que ainda não possuem”.

 

Trabalho voluntariado

Os professores que ministram os cursos fazem de forma voluntária. Alguns são parceiros que o projeto conseguiu por meio da Secretaria de Educação. Mas eles disponibilizam o seu tempo para ensinar jovens e adultos para a formação qualificada, de forma que estes consigam competir no mercado de trabalho.

 

Um deles é Zylmar Pereira, que na primeira turma realizada na Estrutural, em fevereiro/março deste ano, ministrou para os novos agentes de portaria do DF. Ele vivenciou uma realidade diferente em relação a outros cursos que já havia dado. “Vi pessoas que não tinham dinheiro da passagem ou se alimentado ao longo do dia. Mas são todos guerreiros, que procuram vencer. Foi uma experiência única e fiquei fascinado com o que vivi”. Disse o professor que contou ter aprendido mais do que ensinado.

 

Extensão para todas as cidades

O “Superando Obstáculos, Formando Vencedores”, já esteve, além da Estrutural, em Ceilândia, Samambaia, Riacho Fundo II, Santa Maria, Águas Quentes e Recanto das Emas. E assim o projeto quer continuar em movimento.

 

“O projeto visa levar os cursos para as cidades. Porque as coisas estão mais centradas no Plano Piloto. Uma pessoa que está desempregada, precisa de um curso próximo dela. Então, o objetivo é levar essa capacitação para a comunidade, pra não precisar se deslocar até o Plano”.

 

Próximos cursos

No Riacho Fundo II estão previstas para começar no dia 21 de junho, novas qualificações para merendeiros, agentes de portaria, auxiliar de recursos humanos e recepcionista.